Teal – a coragem de mudar a cor

26 Dezembro, 2019

“You never change things by fighting the existing reality. To change something build a new model that makes the existing model obsolete”. Esta frase, de Richard Buckmisnter Fuller, abre o livro Reinventing Organizations escrito em 2014 por Fredéric Laloux.                                                                  

Neste trabalho, o autor apresenta um novo paradigma que se refere ao próximo estágio de consciência humana. Assistimos à emergência de um novo modelo organizacional e cada vez mais se verifica que a pirâmide clássica de comando está ultrapassada. É necessário reinventar, mas que outra estrutura faria uma empresa governável? Como se faria a tomada de decisão?

É reconhecida a necessidade de aceder a um novo estágio de consciência e por conseguinte uma nova forma de pensar as organizações, com o objetivo de criar um blueprint de como podem estas ser muito mais produtivas, realizadoras e com (mais) propósito.

Segundo o autor, a nossa visão atual do Mundo limita o modo como pensamos sobre as organizações. Conseguiremos criar um modo de trabalho em conjunto, mais poderoso, com mais alma e com mais significado, se apenas mudássemos o nosso sistema de crenças?

A era da Internet precipitou uma nova visão sobre o Mundo que admite finalmente a possibilidade de inteligência distribuída em vez de hierarquia top down. É possível criar organizações que extraiam mais do potencial humano? E como são elas afinal? Como as fazemos surgir? Ao longo dos últimos anos levámos ao limite o modo como gerimos organizações e as receitas tradicionais são vistas como parte do problema em vez da solução.

Estamos perante um paradigma evolutivo. A organização Teal (uma cor entre o verde e o azul) é o mais alto nível conhecido de evolução organizacional, situação a partir da qual a empresa assegura desenvolvimento estável.

O sucesso de qualquer empresa quanto aos seus objetivos de negócio, depende diretamente do modelo de gestão. Segundo Laloux o nosso sistema de crenças define como percebemos e agimos no mundo. A chave para a mudança da realidade das organizações, do trabalho e da vida está na mudança de paradigmas. Quando alcançamos outro nível de consciência, criamos novas soluções.

São três as bases inovadoras das organizações Teal:

Propósito Evolutivo (vida e sentido de direção próprio)

Ênfase na Totalidade (a pessoa inteira)

Self management

A questão defendida é que, quando uma organização tem realmente o seu propósito definido e vive por ele, não existe concorrência. O que torna a obsessão da comparação com os concorrentes irrelevante.

Para além disto, quando o propósito da organização e do indivíduo entram em ressonância e se reforçam mutuamente, acontecem “coisas” extraordinárias e aí sim é quando a magia acontece.

 

Carla Rebelo, Diretora Geral Adecco Group Portugal

In Jornal Expresso, 14 de Dezembro de 2019